Jovens investigadores à caça de asteróides na Escola Secundária de Alvide

Seis alunos, entre os 12 e 13 anos de idade, participaram no programa International Asteroid Search Campaign, promovido pelo projecto Hands-On Universe e pela Universidade Hardin-Simmons (EUA). Com a ajuda da professora de Ciências Físico-Químicas, estes alunos da Escola Secundária de Alvide contribuíram para a confirmação da descoberta de um asteróide e para uma melhor determinação da órbita de outro asteróide já conhecido. "Os alunos estão excitadíssimos", descreve a orgulhosa professora ao responder humildemente às felicitações pela descoberta, “até os encarregados de educação já têm estado a colaborar na pesquisa”, complementa.

Asteroide 2008 EC69
Um dos programas promovidos pelo EU-HOU em Portugal é a participação em campanhas de procura de asteróides no âmbito do projecto International Asteroid Search Campaign. Alunos de escolas básicas, secundárias e universidades analisam imagens astronómicas quase em tempo real à procura de descobertas originais. Durante cada campanha, os alunos descarregam as imagens diariamente, analisam-nas com o software específico que lhes é fornecido e reportam as suas descobertas que serão reconhecidas pelo Minor Planet Center (Universidade de Harvard) e pela União Astronómica Internacional (IAU).

Este projecto internacional é dinamizado pela Universidade de Hardin-Simmons (EUA) em parceria com o Lawrence Hall of Science (Hands-On Universe, Universidade da Califórnia em Berkeley), o Global Hands-on Universe Associates, o Astronomical Research Institute (EUA), e a Astrometrica (H. Raab, Áustria) e conta com o apoio do Prof. Patrick Miller.

Orgulhoso pelas descobertas dos vários participantes em todo o mundo, o Prof. Patrick  Miller explica que a contribuição dos estudantes ajuda os cientistas não só a confirmar a descoberta de objectos designados por Near Earth Objects (NEO) - objectos cuja órbita os aproxima da Terra - como também permite determinar com mais precisão a órbita de NEOs já conhecidos e eliminar potenciais riscos para o nosso planeta.

Muitos dos objectos identificados pelos estudantes já são conhecidos do Laboratório de Propulsão a Jacto (NASA) e do Minor Planet Center. Os NEOs são objectos que passam próximo do nosso planeta e que eventualmente podem vir a representar algum risco para a Terra. O facto de já terem sido identificados não significa que a sua órbita esteja bem calculada. Para que os cientistas possam fazer cálculos precisos das trajectórias destes objectos, são necessárias mais observações e mais detecções dos objectos. Os estudantes que participam nestas campanhas auxiliam na construção deste puzzle, reencontrando velhos conhecidos e ajudando a determinar as suas órbitas com mais segurança.

Foi isso mesmo que fizeram os estudantes da Escola Secundária de Alvide. Nesta campanha, encontraram nas suas imagens o 2008 EC69, cuja órbita parecia trazê-lo perigosamente perto da Terra. Mas esta observação ajudou a NASA a determinar com maior precisão a trajectória do asteróide e permitiu retirá-lo da lista de potenciais perigos para o nosso planeta. Os estudantes descobriram ainda um outro objecto, o 2008 GJ110, contribuindo para a confirmação da sua existência: a sua descoberta que foi publicada no dia 15 de Abril no “Minor Planet Electronic Circular” onde constam os nomes dos jovens descobridores.

Desnecessário será dizer que o interesse pelas ciências chegou para ficar na vida destes seis alunos e o entusiasmo é algo que vai ficar marcado na memória da professora. “Nós somos um grupo constituído por uma professora e seis alunos”, descreve a professora Ana Costa que confessa ter muito menos à vontade com o computador do que os alunos. Mais um exemplo de tutora, que abre os horizontes e possibilidades aos seus estudantes. Acrescenta ainda que não teria sequer conseguido participar na campanha se não fosse a ajuda da Prof. Leonor Cabral, que já participa no projecto Hands-on Universe e, além de promover actividades na sua própria escola, ajuda a difundir o projecto em outras escolas.

Obrigada Prof. Ana Costa, pela sua força de vontade e apoio aos seus alunos.  Obrigada Prof. Leonor Cabral, por dar um exemplo perfeito de colaboração na construção de uma escola interactiva e interessante onde aprender é sempre divertido.

Desta vez as estrelas foram o Carlos Filipe, o Fábio André, o Hugo Miguel, o Mário Alexandre, o Miguel Duarte e o Rui Bernardo. Da próxima vez, quem sabe... ?